Bem Didático: Entenda porquê ter um animal não te torna Mãe

 

Falar sobre maternidade não é falar apenas sobre amor. É falar sobre resistência, sobre um combo de sentimentos: tristeza, felicidade, orgulho, amor, raiva, cansaço…
Ser mãe é ser descartada de uma entrevista de emprego porque “és mãe”.
Muito se fala dos motivos e das diferenças e eu irei resumir para não ficae massante:

Uma criança demora cerca de 45 minutos para terminar uma refeição. Sujeira, bagunça. Se precisamos sair as pressas um potinho de água e uma cumbuca de ração não resolve nosso problema. E na hora de dormir? Todos os dias ninando uma criança por no mínimo 40 minutos. 5, 8, 10kg. Seria mais fácil ter uma caminha no pé da nossa cama, né?

A maternidade é compulsória. Diariamente perguntas do tipo: com quem deixou seu filho? Vai voltar a estudar? Mas e seu filho? Vai deixa-lo  com babá? Coloca-lo em escolinha?

Essas perguntas não são feitas para quem tem bichinho de estimação, por motivos óbvios, né?

Mas de tudo isso há uma coisa que poucas vezes é citada e que para mim é o que irá ajudá-los a entender essa questão.
Nós, pais e mães, no caso aqui do texto mães, somos formadores de opinião. Estamos ajudando a formar o caráter de um indivíduo, fazendo com que crianças cresçam cheias de esperança, esperança para transformar, agir e lutar.

No Brasil há cerca de 5,5 milhões crianças que não tem o nome do pai no registro. Há em média 2 milhões de mulheres que criam seus filhos sozinhas. Isso em registro, mas tem os casos em que “acabou o relacionamento” acabou o filho. Existe, nós sabemos. Você provavelmente conhece pelo menos 2 mães solo.

Os dados falam exatamente sobre o que é a maternidade na pele, e como é ofensivo para nós que essa comparação seja feita.
Somos esquecidas, e no único dia em que essas 2 milhões de mulheres podem ter a palavra e dizer como se sentem, donas de gatos e cachorros se acham no direito de intervir.
Empatia, colegas.

 

25 anos, mãe, casada. Entrei para a política no ano de 2016 e estou muito realizada podendo ajudar mulheres e crianças de mais formas. Sou feminista Radical, acredito que gênero seja hierarquia e preciamos abolir o mesmo.

Deixe uma resposta