O feminismo é amor. Já ouviu ou leu isso em algum lugar? Essa frase poderia ser considerada a melhor definição, bem sucinta, do que é e/ou significa esse movimento, essa luta.

A maior preocupação do ativismo feminista, não importando sobre qual vertente, lugar ou comunidade dentro do feminismo, é o cuidado. Isso mesmo, o cuidar da outra pessoa que está mal, que sofre ou sofreu algum tipo de abuso. Digo pessoa, porque direta ou indiretamente, TODOS  indivíduos do planeta acabam sendo acolhidos e velados.

Estamos falando de cuidados diversos, como o de assessorar pessoas que se sentem oprimidas, humilhadas e diminuídas socialmente em algum momento de suas vidas; de explicar, ensinar e mostrar aos homens, crianças, velhos, adolescentes, jovens, não importando quem seja, sobre a importância da igualdade, respeito e valorização do outro em nossa sociedade.

É de igualdade que trata o feminismo, cuidado a todos e respeito mútuo, talvez por isso incomode tanto, já pensou um mundo que não existisse mais fortes e mais fracos como seria?

Objetivo comum é incentivar pessoas que trabalham, estudam e criam, escrevem, desenham, fazem arte, atuam, cantam, dançam, pesquisam, etc. Pessoas incentivadas  a se considerarem especiais e que invistam em seus talentos e sonhos, porque é por isso que existimos, é por isso que lutamos.

Dar ajuda, proteção e amparo a mulheres abandonadas grávidas e/ou com filhos por seus familiares e comunidades religiosas, que muitas vezes não aceitam mães solteiras ou divorciadas. Olhar nos olhos de uma pessoa destruída pela vida e dizer: Você é forte! Você é inteligente! Você vai conseguir!

O feminismo é uma rede de apoio! E é sobre o cuidado que tratamos. Você queira ou não, é disso que se trata, e não estamos falando só de mulheres, porque homens nascem de mulheres, e mulheres bem cuidadas são melhores mães de meninos e meninas, de todos no planeta.

Poder ensinar seus filhos, vizinhos, alunos ou amigos que todos somos iguais e todos devem dividir os afazeres e responsabilidades na vida, que através do carinho e do diálogo podemos chegar a um consenso, é do que trata o feminismo.

Atravessar a rua e independente da roupa, lugar que você estiver, ninguém se aproveite de sua fragilidade social e nunca sentir medo, poder confiar nas pessoas que estão próximas, andar tranquilamente nas cidades, é disso que trata o feminismo, de criar um mundo sem medo, opressão e tristeza.

Enganam-se quem acredita que o feminismo é contra algo ou alguém, muito pelo contrário, somos a favor do amor e do cuidado de todos. O mundo patriarcal, machista não prejudica apenas mulheres, os homens também sofrem, crianças, mais velhos sofrem. E, é disso que trata o feminismo, de menos sofrimento e mais respeito com o outro.

Não poder expor suas dores e fraquezas, fazer um pedido de ajuda ou chorar é não poder ser você mesmo, e é contra isso que estamos lutando, não há necessidade de fingir que é outra coisa e não valorizar sua identidade, história, patrimônio e fraquezas. Ser forte o tempo todo dói, não permitir que o outro seja o que é, e expresse o que sente também machuca.

Por isso que existe o feminismo, para resistir e lutar sempre, para que TODOS tenham o direito de ser o que são, para que não existam superiores e mais fortes enquanto outros são inferiores e mais fracos no planeta.

Existe, para que mulheres possam lutar pelos seus ideais, independente de cor, religião e partido sem serem assassinadas por diversos tiros, porque representa tudo aquilo que os “fortes” não aceitam: os “fracos” ocupando espaços que sempre foram dos “fortes”, dos superiores num mundo onde ainda, como A/C quem nasce numa casta não deve nem sonhar em ocupar espaços que não pertençam ao seu grupo social. E é contra tudo isso e sobre toda essa opressão que atua o feminismo.

Engana-se quem possa pensar que matando algumas, calem os demais, muita ingenuidade acreditar nisso, depois de tanta história e luta de quem é e foi oprimido durante séculos. Memória de luta vem acontecendo há milhões de anos, e temos avançado cada vez mais sobre os podres poderes.

Pode esperar, que muito pelo contrário, será agora que subiremos nos palcos, palanques, plenárias, salas de aulas, universidades, editoras, empresas, hospitais, laboratórios, imprensa e tudo mais que a gente quiser, porque falamos de uma luta do cuidar dos pedaços que vão ficando nessa luta tão desigual e opressora.

Cuidaremos de TODOS que lutam como nós, pela igualdade em nosso planeta. Resistiremos uma vez e mais uma vez e enquanto existam mulheres no planeta aguentaremos fortemente, apoiando e cuidando uma das outras, já que é disso que trata o feminismo.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here