A arte como instrumento de evolução social

Quando cantamos, compomos ou tocamos um instrumento, estamos deixando nossa alma falar. Quando desenhamos, pintamos ou escrevemos, também estamos deixando nossos sentimentos se expressarem.

A arte é a representação mais profunda do que sentimos. Podemos colocar em imagens ou palavras todos e quaisquer sentimentos que sentimos. Alegria, raiva, paixão, amor, saudade, tristeza, ciúmes, decepção. Dos mais belos e nobres ao mais nefastos. Assim somos, humanos. Uma miscelânea de coisas boas e ruins. Ainda num estado evolutivo de muitas paixões enraizadas.

Produzir uma obra de arte é colocar tudo isso para fora, uma verdadeira terapia. Através dessa terapia, conhecemos nós mesmos de uma maneira muito bonita e profunda. Sabendo quem somos, ficam mais evidenciados os pontos que temos que melhorar.

Além da produção de arte, a apreciação das obras de outras pessoas também nos traz grandes benefícios. Através da apreciação, encontramos artistas que pensam da mesma forma que nós. Esses artistas colocam em suas obras suas lutas, seus pensamentos e nos motivam a também lutar e a também nos expressar.

A arte de manifestação e de denúncia, se for consciente, é muito admirável porque é feita por pessoas que querem denunciar os pontos fracos da sociedade, trazer questionamentos e mudanças. É uma arte que luta com os setores mais preconceituosos da sociedade e apertam suas feridas.

Frida Kahlo, artista militante do partido comunista do México é um exemplo. Através de seus quadros imprimiu toda sua dor, quebrou tabus e não se importou com padrões estéticos. Tudo isso fez com que ela se tornasse um símbolo feminista no mundo inteiro e até hoje sua arte inspira.

Agora voltando ao Brasil, o movimento tropicalista aconteceu na década de 60 e contou com grandes nomes da música como: Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa, Tom Zé, Nara Leão e a banda Mutantes. Esse movimento se opôs a ditadura militar e construiu uma arte ousada para a época, mais leve, jovem e misturando vários estilos. Uma verdadeira afronta a arte da época que era bem nacionalista, conforme exigência da ditadura.

Mais recentemente tivemos a polêmica do Queermuseu, exposição que sofreu duras críticas dos conservadores por tratar de questões de gênero,  cultura  LGBT, diversidade e usar imagens religiosas. Essa mostra foi muito importante por enfrentar a elite conservadora e difundir artes modernas pautadas em temas sociais importantes.

O que torna uma música ou uma imagem bonita é como nós a enxergamos e a compreendemos. Quanto mais sensíveis nos tornarmos, mais fácil se torna entender a mensagem passada pelo artista.

Agora analisando de forma mais poética: porque eu deveria admirar uma linda pintura ou ouvir uma boa música quando estou triste?

Para encontrar o que está mais perto da verdadeira pureza: a beleza singela vinda dos nossos próprios corações. A beleza é nossa salvação e nosso principal objetivo. E não se trata da beleza física, mas sim, a beleza da alma. E um conjunto de almas extravasando beleza, faz com que a nossa sociedade fique mais bela e humana. Ou seja, mais viva, menos preconceituosa, mais igualitária, isso também é beleza! É ver o quanto toda a raça humana é bela. Vendo algo belo criado por outra pessoa, resgatamos o que há de mais belo dentro de nós.

Esse texto é uma filosofia escrita por uma artista que é admiradora de toda forma de arte. Na filosofia e contemplação, encontrei a minha maior motivação para entender a vida e me encontrar dentro dela. Seguimos filosofando e pensando.

Que jamais abandonemos a luta pela beleza. Transformemos a vida numa pintura com uma paleta alegre de cores, como se fosse um jardim pintado por Monet ou uma animada sinfonia.

 

 

 

 

Artista, escritora, poetisa e estudante de engenharia química.

Dedico minha vida a estudar o máximo possível e compartilhar o que aprendo com quem estiver disposto a refletir comigo. A vida é muito bonita e, para quem está disposto a mudar o mundo, é mais linda ainda!

Não podemos deixar a beleza morrer! Através da arte, da ciência, da filosofia, eu luto para que a beleza continue viva!

 

Deixe uma resposta