MEU CANTINHO NO MUNDO

Conheci um cantinho no planeta muito especial para uma vida sobrenatural.
Lá… tem diversos passarinhos, tem arara, ararinha, maritaca e bicudo. Tem tucano, tucaninho e tem também pica-pau pequenininho.
Passeando nas alturas, nas arvores e nas nuvens, sempre tem alguma coisa pra se admirar. É só você levantar a cabeça que vê voar.
No chão também tem bicho bonito, tem lagartixa colorida, tem besouro rinoceronte, lobo-guará e até tamanduá bandeira.
A lua cheia é gigante e acompanha as estrelas que brilham até doer os olhos, e, numa piscada se refaz todo um caminhar.
Também tem cachoeira, cachoeirinha e cachoeirão, uma delicia nas chuvas, nas secas, no inverno e no verão.
É lá que eu moro, é aqui que eu vivo e respiro, neste cantinho que escolhi para passear, pra ler e estudar.
Também é bom demais para escrever, crescer e deixar de entender.
Todos os dias acordo com cantorias dos pássaros, é alto, é forte, não tem como não acordar. Na verdade, é um grande embalo convidando pra vida seguir.
De noite também é bom, tem vagalumes piscando dentro e fora de mim. No escuro está claro e o claro fica escuro, é bom para refletir.
Meu cantinho é tão lindo, tão lindo… Pena estar esquecido.
É terra de Boe-Bororo, de Quilombolas, de cavernas e de catitus.
Terra que já tem dono, já foi descoberta, saqueada, vendida e comprada. Dizem que é dos Anús. Ai ….. se os Anús soubessem…
Estou falando de um lugar que existe e é real, mas depende de quem olha e de quem vê.
Estou falando de Chapada, a dos Guimarães, lugar de onde estou olhando, gostando e ficando… um lugar especial e cheio de luz.


Maria Luisa Jimenez Jimenez
Filósofa, feminista, gorda, palhaça, professora e pesquisadora doutoranda em Estudos de Cultura Contemporânea – UFMT: O lugar social do corpo gordo feminino no mundo contemporâneo.

Deixe uma resposta