Falar sobre feminismo e sobre patriarcado também é falar sobre as diferentes performances impostas a mulheres e homens, feminilidade e masculinidade. Não tem como se discutir feminismo, cultura do estupro, machismo, sem entrar em uma sociedade que atribui características e comportamentos para ambos os sexos, mascarando esse sistema chamando de “características do gênero”.Mas, se existem feminilidade e masculinidade, por que o feminismo é um espaço das mulheres para mulheres?

Uma das coisas que mais atrasa o movimento feminista e a expansão da discussão é o fato de que homens que estão em processo de desconstrução, tentando reconhecer seu machismo e entender o movimento, querem o protagonismo para si (o que, alô, é machismo!). E isso quer dizer exatamente que vocês ainda não entenderam nada.

A relação entre apoiar um movimento e roubar um espaço que não é seu pode ser bem tênue, se você não se colocar em seu lugar. Da mesma forma que mulheres brancas podem estar ao lado do movimento feminista negro, mas nunca se colocando como protagonistas em um lugar de fala que não é seu.

A questão toda acerca de que homens ainda não entendem o seu lugar em um processo que não diz respeito à eles, é compreender que o espaço é nosso, e que por essa razão  não podem falar por nós. Apoiar uma luta é completamente diferente de ocupar um lugar de fala que não é seu. Isso, inclusive, é oprimir mais quem está batalhando por emancipação. Por exemplo, não adianta você se declarar a favor do feminismo e silenciar uma mulher para explicar o que é machismo, não faz sentido declarar apoio ao feminismo e passar pano para seu amigo que abusa de mulheres, não é serventia nenhuma se dizer pró feminista e rir de piadas sobre estupro, ou compartilhar fotos vazadas de mulheres em grupo de whatsapp.

Ninguém está dizendo que homens não pode simpatizar e apoiar feministas, nós estamos dizendo que vocês têm que condizer com isso. Completamente.

Compreender como a masculinidade imposta à vocês é violenta é um caminho para olhar as ações, suas e de quem vocês convivem, para mudar. Pensar em como você se relaciona com as mulheres à sua volta, desde a sua mãe, irmã, namorada até desconhecidas, como você enxerga elas. Não reproduzir comportamentos abusivos com sua namorada (se você é heterossexual ou bissexual), não acusar suas ex-namoradas de loucas ou desequilibradas.

Ser empático também é um ato de apoio.  

Todo processo de desconstrução é difícil, mas já passamos do tempo de desculpar homens que são agressivos e com comportamentos opressores porque “estão aprendendo” ou porque “são muito novos” ou “não sabiam direito”. Mulheres desde muito cedo são julgadas e culpadas pela sociedade. Então nós não temos tempo para parar e explicar para vocês porque não é legal acusar uma mulher de machismo quando se sentir menosprezado só para ofendê-la. Não temos tempo para dizer que não é certo mandar uma mulher calar a boca para tentar explicar exatamente o que ela estava falando. Isso não é seu lugar e não diz respeito à sua opinião.

Principalmente, não temos tempo para explicar porque “todo homem é machista” é uma verdade, sim, e que nós não estamos generalizando.

Se vocês querem contribuir e estar ao nosso lado, que seja para ouvir e impedir essa cultura conversando com os seus amigos sobre comportamentos nocivos para todas as mulheres. Não reproduzir machismo e repreender ações de outros homens que o façam é apoiar o movimento feminista. Nós precisamos de mudança, efetiva, real, com comprometimento à causa, para ouvir e aprender. Já que querem o seu lugar, é esse.

Imagem Fonte: Graphic by Martine Ehrhart

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here