Como é difícil denunciar.
Tem vergonha. Tem medo. Tem culpa. Tem questionamento.

Mas ainda bem, que existe quem consiga falar. E ela consegue dar força para que outra fale. E outra. E outra. E quando a gente percebeu…330 falaram. DENUNCIARAM. Conseguiram ser mais fortes que o medo, a vergonha, a culpa, o questionamento.
E ainda assim, há quem diga que é oportunismo. Que nada disso aconteceu.

Se por um lado a gente tenta entender como esses grandes “religiosos” são assim, tão “santificados”, por outro…como assim a gente não dá vós a quem denuncia tamanha atrocidade?
Ok. É de se esperar que um líder religioso, seja uma pessoa íntegra. Que nos guie de alguma forma. E que nos transmita paz e sentimentos bons. Afinal, indiferente de qual vertente religiosa você seja (se você é), quando se procura alguma religião, é sempre buscando algo bom.
A gente acaba vendo essas pessoas como “semi Deuses”. Pessoas que estão acima de qualquer suspeita. Imagina! O padre vai molestar o coroinha da igreja? O pastor, vai abusar da criança que frequenta a escolinha dominical? O espírita vai abusar de uma mulher durante um passe, ou uma cura? É uma espécie de álibi perfeito. Se esconder usando a máscara da religiosidade. Usando algo tão puro e sagrado que é a fé das pessoas. Para mentir, para se beneficiar, pra abusar, pra sofrer, pra humilhar, para machucar, para calar.
É um misto de nojo, de raiva que nós sentimos quando algo assim acontece. Ninguém tem esse direito. NINGUÉM! Assusta ainda mais quando vem de alguém assim, tão “acima de qualquer suspeita”. Como um cara que deveria ser referência de espiritualidade, de evolução, de amor…como ele é capaz de abusar de uma mulher? Como alguém usa uma crença que deveria servir apenas para o bem, para abusar sexualmente?

Mas…porque a primeira não denunciou? Bom… Sabemos que algumas tentaram. Em 1980, teve uma denúncia que não foi pra frente. Em 2008 teve uma denúncia e o “super santinho acima de qualquer suspeita” foi inocentado. Se em 2008 ele estivesse sido condenado, se tivéssemos dado vós àquela menina que clamava por socorro, por justiça… Quantas Anas, Marias, Carolinas, Lauras, Júlias, Ângelas não teriam passado por isso? E se tivéssemos ouvido a própria filha dele, que também o denunciou? Em 2014 teve uma outra confusão numa entrevista no exterior…
A gente, mesmo depois de tudo isso, ouve que é oportunismo. Que é um complô. Que “não denunciou antes porque”?
Fácil responder…se 330 denunciam existe uma comoção nacional dizendo que não é bem assim
Muito provavelmente uma mulher sozinha por falta de apoio tenha pensado…mas será que foi isso mesmo? Será que eu enlouqueci? Meu Deus! Não pode ser… Quem vai acreditar em mim? Imagina a Ana, ou a Maria, ou a Júlia sozinhas… Tão pequenas e feridas, diante de toda uma sociedade que julga, machuca, que estupra e mata.
330 mulheres denunciaram. Dentre elas, sua própria filha. 330 mulheres. Crianças e adultas, foram vítimas de abuso sexual, vítimas de um machismo velado.
No Brasil, em 2017, foram registrados 164 casos de estupro por dia. POR DIA! GENTE, EU DISSE 164 CASOS REGISTRADOS POR DIA!! E quantos não relatados? E quantos ainda em silêncio? ( veja aqui https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2018/08/10/brasil-registra-164-casos-de-estupro-por-dia-em-2017.ghtml ). Nesse momento a gente se pega pensando, minha nossa…será que eu serei estatística? Será que um dia eu serei um número desses casos?
A verdade, é que nós mulheres, vivemos com medo.
Eu não conheço uma única mulher que nunca teve medo de simplesmente andar na rua. Seja de dia ou a noite. Voltando da folia, da casa da amiga, do barzinho, do trabalho ou da faculdade. A gente anda com medo sim. Medo de virar estatística.

O que essas 330 mulheres fizeram, merece nosso respeito. Um abraço muito apertado em cada uma delas. Vocês não estão sozinhas. A poucos dias estávamos compartilhado a foto “ninguém solta a mão de ninguém” e nós não soltaremos. Seguiremos com vocês. E se houverem mais casos, se você for um caso, relate. Tenha coragem de denunciar. Isso precisa parar.
Elas não denunciaram para ganhar algo porque o cara é famoso.
Junto com a denúncia, infelizmente vem ameaças e ofensas. Apontamentos do tio, amigo, vizinho e etc. Vem também reviver tudo aquilo que ela lutou pra sufocar, apagar e esconder.
As vozes dessas 330 mulheres não pode ser menor que a voz de 01 homem. Por ser uma “celebridade blindada? Por estar “acima de qualquer suspeita”?
Não!
Vamos continuar lutando contra essa sociedade que nos mata. Que nos sufoca.
“Nenhum João será de Deus, se não souber respeitar todas as Marias”.
Chega de assédio.
Nenhuma a menos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here