Entre os diversos questionamentos que rodeiam o imaginário das pessoas sobre a temática que envolve o relacionamento abusivo, um deles, acredito que um dos mais intrigantes, é sobre a imensa dificuldade que as pessoas tem de se livrar dele. Por que é tão comum ver pessoas, principalmente mulheres, procrastinando tanto o fim de uma relação tóxica?

Convenhamos que para quem não está envolvido na relação é muito fácil listar todos os porquês de “cair fora” e chega ser difícil compreender o que motiva alguém querer tanto permanecer em algo que está fadado ao fracasso. Parece fácil, mas não é. Primeiro que não é tão simples admitirmos que estamos sendo abusadas por alguém e, ainda mais, se esse indivíduo for quem julgamos tanto amar. Segundo que um relacionamento abusivo normalmente não acontece de um dia para outro. Leva tempo e os abusos surgem de pouco a pouco até que levam sua autoestima para o espaço. Desta maneira, você acaba acreditando mesmo que é a culpada de tudo, que não merece amor, que faz tudo errado mesmo, que você tem que agradecer por ele está com você. Não consegue ao menos enxergar a manipulação, o controle, a violência psicológica por trás.

E como poderia? A nossa autoestima é nosso grande pilar de sustentação para nos ajudar a não nos submetermos a situações prejudiciais e abusivas. Sem ela a gente desenvolve um grande medo da rejeição e perdemos a nossa capacidade de acreditar que merecemos ser amadas. Sendo assim, acabamos aceitando bem menos do que merecemos.

Em outros casos a vítima não consegue se desvincular da relação, pois possui um grande medo que o parceiro use da violência física e de chantagens emocionais. Por esse motivo, é necessário que você que está passando por essa situação busque ajuda psicológica, apoio de pessoas de sua confiança e denuncie por meio do disque  180.

Por fim, verdade seja dita, são por inúmeras causas que as pessoas resistem ao fim de uma relação tóxica seja por dependência financeira, dependência psicológica, medo de morrer, esperança de mudança do companheiro, sentimentos de desvalorização, inferioridade e culpa, entre outros. Eles todos só se fortalecem com a nossa cultura machista de culpabilização da vítima. Nós, mulheres, somos o tempo todo culpadas pelas violências que sofremos tal como seja pela forma que nos vestimos, nos comportamos, caminhamos, etc. Desta forma, fica ainda mais árduo se livrar do relacionamento mesmo com tantos “alertas” de que tem algo de errado.

Caso você que está lendo esse texto esteja passando por isso não desista de sair dessa situação.. Eu sei que é difícil , mas é como aquela frase diz “um relacionamento ruim irá te deixar mais sozinha do que se você estivesse solteira“. Não desista, peça ajuda. Uma relação não pode destruir o que há de melhor em você que é o seu amor próprio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here