Atualmente muito tem se falado de negging, que é uma “estratégia de sedução”, onde um homem usa de ofensas para “desarmar” a mulher. Mas como assim????

A intenção não é que nos apeguemos a termos e conceitos fechados, mas que possamos refletir sobre isso.

Simplificando, negging é uma estratégia de negar suas qualidades para te deixar insegura quanto a sua beleza e inteligência.

Por exemplo, esse tipo de comentário: “Você poderia ser modelo se fosse mais magra”, “Seu cabelo é tão lindo. É aplique?”, “Você fala demais, onde que desliga?”, “Você é tão bonita de rosto”, “Acho que não te reconheceria sem maquiagem”, “Você é tão linda, imagina se usasse maquiagem”, “Nossa, você é tão diferente das suas fotos.”, “Você é tão inteligente, pena que é feminista”, entre outros…

Imagem retirada do Google.

Conseguem perceber? Existe em uma única frase um elogio e uma crítica, muitas vezes velada, dita com tom de desqualificação. Existe uma dupla mensagem que te confunde, o que faz com que não se saiba se deve se atentar ao elogio ou a “crítica” e por ser feita a maior parte das vezes em tom de brincadeira, não parece ser um comportamento abusivo.

Se trata de um jogo emocional, assim como o gaslighting e diversos tipos de violência psicológica, onde o abusador busca abalar a autoconfiança, autoestima para que pense que “é uma sorte alguém me querer se sou feia, pouco inteligente…”. É uma porta de entrada para um relacionamento abusivo, que pode acontecer desde o primeiro encontro. O abusador se sente “ameaçado”, inseguro com suas qualidades e busca rebaixá-las, buscando que assim você o valorize mais.

Nesse texto, não gostaria de valorizar tanto o termo, mas sim ao que representa.

Nós mulheres, precisamos trabalhar constantemente no fortalecimento da nossa autoestima, pois o negging funciona como jogo emocional, pois ele “ativa” nossas inseguranças pela necessidade de aprovação masculina, sobre nossa aparência, personalidade, inteligência…

Muitas vezes nos sentimos “erradas” por sermos mulheres fortes, inteligentes, independentes, por toda construção machista sobre o papel da mulher na sociedade. Não há nada de errado conosco, não devemos aceitar pessoas que nos desqualifiquem em nossas relações, que desejem nos deixar inseguras para se sentirem seguras. Atitudes como essa, são características iniciais de uma relação abusiva.

Precisamos nos enxergar como somos, quem somos com clareza. Nós mulheres, somos motivadas constantemente a nos sentirmos inseguras com nossa aparência e personalidade, insatisfeitas por não corresponder aos padrões de beleza impostos (confira o texto: Não é sobre aceitar seu corpo, é sobre amá-lo!). Não somos incentivadas a nos amar, mas sim a nos sentir constantemente insatisfeitas e incompletas. Se nos achamos bonitas, inteligentes, realizadas profissionalmente, aceitando e amando nossos corpos como eles são, por vezes nos sentimos culpadas, por “quebrar” essa imposição social de que estejamos constantemente insatisfeitas com a mulher que somos.

Nós mulheres sofremos diversas pressões sociais, por conta disso carregamos um enorme sentimento de culpa, se a mulher não deseja ter filhos é por vezes julgada como egoísta, se deseja ter filhos e também priorizar seu sucesso profissional é julgada por não se dedicar o suficiente para o cuidado dos filhos, se não deseja emagrecer pode ser tida como “relaxada”, entre outros. Essa culpa que carregamos, por vezes faz com que sintamos tamanha insegurança, e por conta disso, também, as críticas nos ofendem tanto e faz com que questionemos se quem nó somos está “correto”.

Precisamos trabalhar o fortalecimento da nossa autoestima, compreender que não existe nada de errado conosco, com nossa personalidade, com ser forte, bonita e inteligente. Precisamos nos relacionar com homens que nos admirem como somos, não tratem nossa personalidade como ameaça, nossas relações amorosas precisam auxiliar no fortalecimento da nossa autoestima, jamais prejudicá-la. Relações precisam ser baseadas em parceria, jamais disputa de “quem é mais forte, dominante e poderoso”, parceria.

É muito importante perceber os primeiros sinais de um relacionamento abusivo, o negging pode aparecer já nos primeiros encontros. Mas, para conseguirmos perceber precisamos estar conscientes do que merecemos, que jamais merecemos pouco, migalhas, sempre muito, “um banquete”. Para isso, é muito importante que cuidemos de nossa saúde mental, busquemos auxilio psicológico, autoconhecimento. Também é muito importante que nos relacionemos com pessoas que nos fortaleçam, isso tanto em relações amorosos, quanto amizades e relacionamentos familiares, pessoas que fazem questão de nos criticar e afetam negativamente nossa autoestima, não são pessoas que vale a pena ter por perto.

“Ouço mil palavras gentis ao meu respeito

e não faz nenhuma diferença

mas ouço só um insulto

e toda minha confiança se despedaça”

-focando no negativo

(Rupi Kaur)

Vamos mudar isso?

Se fortaleça mulher! E que não esqueçamos de fortalecer umas às outras.

Ajude outra mulher a enxergar a grandeza que existe dentro dela e como ela é incrível!

JUNTAS!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here