A embriaguez e seu perigo para a mulher

Como muitos sabem, a bebida alcoólica traz diversas mudanças comportamentais para o indivíduo. Isso porque o álcool afeta o Sistema Nervoso Central, o que pode causar perda de reflexo, sonolência e perda de memória. Além disso, o álcool também interfere no funcionamento do coração, fígado, estômago e rins, liberando adrenalina, mudando o ritmo do metabolismo, e etc.
Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 4% de todas as mortes do planeta são geradas pelo uso do álcool, o que representa 2,3 milhões de mortes por ano.

O que muitos não sabem é que as mulheres, segundo diversas pesquisas, têm reações diferentes a dos homens.

“As mulheres ficam mais suscetíveis aos efeitos do álcool exatamente porque, fisiologicamente, têm mais gordura retida no organismo, o que acaba por repelir a absorção do álcool pelas células, fazendo com que ele permaneça por mais tempo na corrente sanguínea, o que chamamos de biodisponibilidade do álcool. Isso faz com que seus órgãos passem mais tempo expostos aos seus efeitos nocivos, principalmente os mais sensíveis, como cérebro, fígado e coração, por exemplo. Esse é um dos motivos pelos quais as mulheres adoecem mais rápido por conta de bebida: elas têm alterações no Sistema Nervoso Central antes, demência. A cirrose, por exemplo, aparece em média cinco anos antes na mulher que no homem”, explica Claudio Jerônimo, psiquiatra e diretor da Unidade Recomeço Helvetia – Unidade de Apoio a Dependentes Químicos.

Beber álcool em demasia, além de trazer complicações para o organismo, pode trazer sérios riscos à vida, principalmente da mulher. Acontece que em nossa sociedade existe a Desigualdade de Gênero e os comportamentos machistas construídos ao longo da história. E, tendo em vista esse conceito, falaremos a seguir da violência sexual presente, contra as mulheres. O conteúdo pode ser delicado e você não precisa prosseguir a partir daqui se não se sentir a vontade.

A Cultura Machista e a embriaguez da mulher

Acredita-se que muitas mulheres já tenham passado por situações delicadas, ouvido ou presenciado fatos de abusos sofridos por elas ou por alguém próximo pelo fato de terem bebido ou aceitado bebida alcoólica. Muitas mulheres relatam já terem sofrido algum tipo de assédio por estarem “alteradas”.

Recentemente tivemos o caso da Mariana Ferrer, que foi vítima de Violência Sexual enquanto estava trabalhando. Ela foi dopada pelo estuprador, aparentemente com a ajuda de conhecidos próximos a ela, e violentada. Ela não se recorda do rosto do agressor ou de como tudo aconteceu, mas o fato de estar dopada deu ao homem o “direito” de violentá-la. Suas amigas não a protegeram no momento, mesmo sabendo da vulnerabilidade em que a Mariana se encontrava. Ela ficou sozinha com seu pior pesadelo e busca justiça para o caso.
Instagram com o relato completo: @maribferrer

O apagão é uma das mais assustadoras e piores fases da embriaguez.
“Quando a pessoa chega a um teor de álcool no sangue de 0,16, mais ou menos o dobro do limite legal, ela fica vulnerável a sofrer o blecaute – embora esse limite varie”, e, “Num blecaute ou apagão, o álcool desliga a capacidade do cérebro de consolidar memórias.” Explica George Koob, diretor do Instituto Nacional de Abuso Alcoólico e Alcoolismo.

O fato de muitas pessoas estarem defendendo o agressor e comentando que a Mariana não foi forçada a nada, pois havia provas através das câmeras de seguranças aonde ela ia sem impedimentos ao local do ato em si, já foi comprovado cientificamente que uma pessoa embriagada não está consciente de fato.

O machismo enquanto sistema ideológico oferece modelos de identidade, tanto para o elemento masculino como para o elemento feminino: Desde criança, o menino e a menina entram em determinadas relações, que independem de suas vontades, e que formam suas consciências: por exemplo, o sentimento de superioridade do garoto pelo simples fato de ser macho e em contraposição o de inferioridade da menina (DRUMMONTT, 1980, p.81).

É muito importante mudarmos essa relação e termos consciência de quando e como podemos nos relacionar com o outro. É muito importante que as amizades sejam verdadeiras e que as mulheres tenham sororidade umas com as outras. É para isso que buscamos lutar sempre.

Vamos fazer o bem e o certo! Vamos dar as mãos!

Vamos cuidar da nossa saúde e das nossas vidas! Vamos cuidar umas das outras!

O Alcoolismo e a Mulher

Pesquisando sobre o assunto do alcoolismo e as suas consequências para a mulher, encontramos o depoimento através do Instagram da @mbottan, que explica bem como ela tem conseguido tornar seus dias melhores com um novo projeto pessoal intitulado de “Projeto Vidão”.

A bebida traz uma falsa liberdade para se expressar e um rápido alívio dos problemas (momentaneamente). Porém, sabemos também que a bebida pode impulsionar ainda mais tudo o que está a volta daquela pessoa que já estava sofrendo por algum tipo de transtorno ou barreira e que pode deixá-la em perigo ou até mesmo levá-la a óbito.

Não deixe de procurar ajuda se está em alguma situação de compulsão com bebidas alcoólicas ou qualquer outro tipo de drogas ou transtornos! A sua vida vale muito e pode ir muito além do que você imagina.

Estamos passando por um período muito delicado com a Pandemia, mas não desacredite no futuro e não se entregue às drogas, pois você estará entregando a sua vida.

Bibliografia

Alcool Pode Ser Mais Prejudicial Para a Mulher, disponível em:
https://saude.abril.com.br/medicina/alcool-pode-ser-mais-prejudicial-para-as-mulheres/

O Que Acontece no Seu Corpo Quando Voce Ingere Bebida Alcoólica, disponível em:
https://www.spdm.org.br/saude/noticias/item/2266-o-que-acontece-no-seu-corpo-quando-voce-ingere-bebida-alcoolica

O que acontece com o seu cérebro quando você sofre um apagão alcoólico, disponível em:
https://www.huffpostbrasil.com/2018/09/28/o-que-acontece-com-o-seu-cerebro-quando-voce-sofre-um-apagao-alcoolico_a_23544843/

Redes sociais

  • /TODASfridas
  • @todasfridasoficial
  • @todasfridasoficial
  • comercial@todasfridas.com.br

Todas Fridas

fifitransp